BALANÇO: XVII VIRTUOSI PROMOVEU ENCONTROS EMOCIONANTES NO RECIFE

Foto: Flora Pimentel

Foto: Flora Pimentel

Foram oito dias de evento levando uma programação variada de música, ofertando o melhor da música erudita clássica e contemporânea no Recife, Olinda e em mais quatro cidades. Em sua 17ª edição, o VIRTUOSI – Festival Internacional de Música de Pernambuco realizou diversos recitais e além da grande reunião de instrumentistas renomados em seus principais concertos, promoveu em vários momentos encontros de grande magnitude a exemplo da união de DJ Dolores e Naná Vasconcelos, o Ensemble São Paulo e o carioca Ravi Shankar e os casais Catalin Rotaru & Anastasia Zhivotovskaya e Leonardo Altino & Soh-Yuyn Park.

Foto: Helder Tavares

Foto: Helder Tavares

Na programação da maratona Virtuosi Pela Paz, que ocupou o palco do Teatro de Santa Isabel das 20h da sexta até às 22h do sábado, o violinista austríaco Benjamin Schmid deu o ar da graça em três ocasiões. Primeiramente em recital solo na noite da sexta interpretando de forma majestosa obras de Bach e Paganini; depois pela madrugada ao lado de um quarteto de jazz à moda antiga com músicas de Django Reinhardt e Stephane Grappelli; e por fim, no encerramento da maratona como solista da Orquestra Virtuosi tocando obras de Duke Ellington e Fritz Kreisler.

Foto: Helder Tavares

Foto: Helder Tavares

E como um evento deste porte reserva surpresas às vezes, o trombonista sueco Christian Lindberg teve a honra de reger a Orquestra Virtuosi em substituição ao Maestro Rafael Garcia que teve um mal estar antes do concerto na noite do sábado. Com o entrosamento que é característico de um músico do porte de Lindberg e com a ajuda de excelentes instrumentistas, ele conseguiu segurar o concerto e a atenção do público até o final arrancando muitos aplausos. Vale ressaltar que a agenda do sueco não tinha sido mole, uma vez que horas antes ele ainda se apresentou ao lado do grupo carioca Unirio Metais na maratona.

Foto: Flora Pimentel

Foto: Flora Pimentel

Outro grande destaque na programação do XVII Virtuosi foi a vinda do violinista húngaro Roby Lakatos, bastante tietado pelos músicos do próprio evento que o consideram uma lenda viva. Em sua primeira vinda e primeira apresentação no Brasil, Lakatos chamou bastante a atenção do público na madrugada do Teatro de Santa Isabel com sua música de estilo cigano com um talento que atravessou gerações em sua família.

Foto: Helder Tavares

Foto: Helder Tavares

Neste ano, 14 músicos de diferentes nacionalidades estiveram na programação do evento executando desde obras de Bach e Strauss, a composições de Duke Ellington, John Cage e Maestro Duda. E apesar da variedade de nacionalidades e idiomas nos bastidores do evento, todos mostraram bastante sintonia na hora de levar ao público a emoção advindas destas peças. Oriundos da Rússia, Áustria, EUA, Inglaterra, Israel, Romênia, Coréia do Sul, Suécia, Filipinas e Grécia, os convidados do Virtuosi representam a universalidade da música.

Foto: Flora Pimentel

Foto: Flora Pimentel

Em sua 17ª edição, o VIRTUOSI contou com patrocínio do BNDES, CORREIOS, Excelsior Seguros, incentivo do Governo do Estado de Pernambuco e Prefeitura Municipal do Recife e apoio da Prefeitura de Olinda, Prefeitura de João Pessoa, Prefeitura de Campina Grande, CEPE, Livraria Cultura, UFPB, Fundação Amazônica de Música, Dragão do Mar e Dorisol Grand Hotel Recife.

COBERTURA: Maratona 24 horas – Virtuosi pela Paz Parte 1

IMG_0539

A maratona Virtuosi pela Paz começou soturna e introspectiva com a peça Metamorphoses de Richard Strauss – homenageado do ano no festival – escrita em 1945 sob efeito da emoção causada pela destruição de uma parte da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, inclusive o Teatro Nacional de Munique. A obra para orquestra de cordas foi brilhantemente interpretada pela orquestra do Virtuosi regida por Rafael Garcia.

Em seguida, foram tocadas dois concertos de Ludwig van Beethoven: o concerto para violino e o tríplice concerto para violino, violoncelo e piano. Esta última obra, a única de Beethovem para mais de um instrumento solista, foi tocada em família: regida por Rafael Garcia, com a esposa Ana Lúcia Altino (piano), o filho Leonardo Altino no violoncelo e Soh-Hyun Park – a esposa deste – no violino. Rafael Garcia e Ana Lúcia Altino comemoram em 2014 70 anos de vida.

Mas a apoteose da noite foi o célebre Concerto para violino de Ludwig van Beethoven tocado pelo violinista americano Giora Schmidt. Logo nos primeiros acordes foi possível entender porque ele é aclamado pela crítica especializada (foi elogiado pelo The Miami Herald, Detroit press etc): com um som límpido e perfeita intimidade com o concerto de Beethoven, ele deixou a todos visivelmente impressionados, inclusive os músicos da orquestra.

Aplaudido de pé, ele tocou uma peça de Bach para violino solo como bis e teve que voltar ao palco diversas vezes. Foi certamente uma oportunidade rara no Brasil de ouvir um violinista desse nível.

No concerto seguinte, foi possível ouvir Christian Lindberg, compositor e trombonista, considerado um dos melhores do mundo no seu instrumento, junto com o pianista filipino Victor Asuncion. No repertório, obras de diversas épocas, inclusive uma composição sua para trombone solo, e uma obra-prima do repertório camerístico, a Fantasiesturcke de Robert Schumann.

A partir das 23h20 se iniciou a apresentação mais intimista da noite: o recital de Benjamin Schmid, que recentemente foi citado no livro “Le grands violinistes do XX siècle” como um dos 35 maiores violinistas dos últimos 50 anos. O recital teve duas sonatas, a Sonata em lá menor, de Johann Sebastian Bach, e a Sonata Opus 27 de Eugene Ysaye, e quatro Caprichos de Paganini. Apesar da hora já adiantada, o público aplaudiu calorosamente cada peça, especialmente a última. De fato, a rapidez com que Schmid tocou os caprichos de Paganini – já excessivamente difíceis – produziu uma funda impressão.

Schmid tocou com seu violino Stradivadius. Numa só noite, o palco do Teatro de Santa Isabel recebeu dois Stradivarius, um depois do outro.

Após o recital intimista e virtuoso de Benjamin Schmid, o teatro recebeu algo completamente distinto: o violinista cigano Roby Lakatos (também com um Stradivarius) com seu grupo composto de cimbado, piano, e baixo. Com os instrumentos amplificados, o que mudou a atmosfera da noite para algo mais popular e menos formal, Lakatos tocou peças de música cigana, inclusive a famosa Hapsódia húngara, obras de Piazzolla. No final, em homenagem ao público brasileiro, tocou uma peça de Tom Jobim. Apesar da hora adiantada, já passava da meia noite, o público já diminuído aclamou Labakos com gritos e aplausos, como num show.

[Continua]

ENCERRAMENTO DO XVII VIRTUOSI ACONTECE COM MARATONA DE PIANO

Ilya Ramlav (1) - Cópia

No domingo (14), o XVII Virtuosi se despede dos palcos do Recife com um programa especial no Teatro de Santa Isabel apresentando dois novos talentos do piano russo: Ilya Ramlav e Anastasia Zhivotovskaya. Com apresentações a partir das 17h, a Maratona Virtuosi BNDES de Piano e tem entrada gratuita e promete emocionar o público com a execução de obras de Chopin, Beethoven, Liszt e Prokofiev.

Pianistas – Vencedor de várias competições internacionais como Isidor Bajic (Servia) e Jean Françaix (Paris), Ilya Ramlav estuda no Conservatório Tchaikowsky de Moscou. O pianista russo tem se apresentado como solista das orquestras de St. Petersburgo, Saratov e Yaroslavl, entre outras, tendo recebido o prêmio Richter concedido pela Fundação Rostropovich em 2011.

Anastasia Zhivotovskaya é uma jovem pianista russa graduada pelo Conservatório de Moscou, tendo sido vencedora de várias competições internacionais. É considerada uma pianista original com brihante técnica que conquista facilmente a plateia com sua profunda e sensível musicalidade. Suas habilidades cobrem um extensa área de gêneros musicais mostrando uma versátil pianista como acompanhante na música vocal, camerística e teatral.

Anastasia Zhivotovskaya - Cópia

PROGRAMAÇÃO – XVII VIRTUOSI
MARATONA VIRTUOSI BNDES DE PIANO
DOMINGO – 14 DE DEZEMBRO

17h – ILYA RAMLAV
FREDERIC CHOPIN: “Noturno Op.62 nº1 em si maior” / “Balada nº 2 Op. 38 em fá maior” / “Polonaise Op.53 em la bemol maior”
ROBERT SCHUMANN: “Estudos Sinfônicos Op. 13”
SERGEY RACHMANINOFF: “Preludio Op.23 em si bemol maior” / “Preludio Op.32 em sol sustenido menor” / “Preludio Op.32 em si menor” / “Etude-Tableaux Op. 39 em Ré maior”

18h – ANASTASIA ZHIVOTOVSKAYA
DOMENICO SCARLATTI: “Sonata em ré menor L.108” / “Sonata em ré menor K.141”
LUDWIG VAN BEETHOVEN: “Sonata no. 18 op. 31 em mi bemol maior”
FRANZ LISZT-RICHARD WAGNER: “A morte de Isolda da ópera ‘Tristan and Isolde'”
SERGE PROKOFIEV: “Sonata no. 3 em lá menor”
FRANZ LISZT: “Grandes Etudes de Paganini” / “Etude no. 6 (Paganini Caprice 24)”

LOCAL: Teatro de Santa Isabel – Praça da República – Recife
Entrada Gratuita
Mais informações: http://www.virtuosi.com.br

COBERTURA: Strauss, Smetana e Schumann (e Kahn)

Virtuosi_FloraPimentel_330

Por Josias Teófilo

O concerto da quinta-feita no Teatro de Santa Isabel – tradicional casa do Festival Virtuosi – foi consagrado à música de câmara romântica e pós-romântica.

O público foi recebido pelo violista Marcelo Jaffé – do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo – que explicou com bom humor a biografia dos compositores, seus dramas pessoais e a circunstância da composição das obras apresentadas.

A primeira peça foi a Sonata para violoncelo e piano de op. 6 do compositor alemão Richard Strauss, tocada com vigor pelo violoncelista pernambucano Leonardo Altino e pelo pianista filipino Victor Asuncion. A obra de Strauss dialoga com a música romântica dos compositores Beethoven, Schumann (principalmente na unidade temática) e Mendelsohn (o finale é inspirado na Sinfonia Escocesa dele) de modo o universo da noite foi o romantismo do século XIX.

A peça seguinte foi o Trio para violoncelo e piano Op. 15 de Bedrich Smetana, obra profundamente dramática que Smetana escreveu para uma das filhas mortas quando ainda era criança. O trio foi tocado em toda sua profundidade por Yehezkel Yerushalmi, spalla da Orchestra del Maggio Fiorentino regida por Zubin Mehta, Leonardo Altino e Victor Asuncion, e foi bastante aplaudido.

Em seguida, foi tocada uma peça que não estava no programa de um compositor praticamente desconhecido no Brasil: um trio para violoncelo e piano de Robert Kahn, judeu perseguido pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial.

Em seguida, veio a apoteose da noite, o Quinteto para piano e cordas em mi maior, uma das mais conhecidas e tocadas peças do repertório camerístico. O público parecia hipnotizado pela obra, tocada com delicadeza e profundidade. Notável era o entrosamento entre os músicos – fundamental para música de câmara – e a familiaridade que pareciam ter com a música.

 

 

VIRTUOSI REALIZA MARATONA MUSICAL NO TEATRO DE SANTA ISABEL

XV Virtuosi - Foto Caroline Bittencourt (1)
[Foto – Caroline Bittencourt]

“Virtuosi” é a forma plural de “virtuoso” que significa a habilidade fora do comum de uma pessoa diante de um instrumento musical. No Recife, é sinônimo de qualidade e credibilidade. O VIRTUOSI – Festival Internacional de Música de Pernambuco é um espaço aberto para que intérpretes e compositores possam dar sua contribuição ao desenvolvimento da música no estado. O virtuosismo é uma característica forte do festival, oferecendo ao público uma programação que traz instrumentistas renomados de grande talento.

A partir das 20h da sexta (12), o Teatro de Santa Isabel vai respirar música por 24h. É quando acontece a segunda edição do VIRTUOSI PELA PAZ – MARATONA VIRTUOSI BNDES que integra a programação do XVII VIRTUOSI com entrada gratuita. Nesta sequência de apresentações, haverá espaço para diversas vertentes da música erudita com obras clássicas e contemporâneas e ainda um flerte ao jazz e à música eletrônica.

Os convidados do VIRTUOSI advém de diferentes lugares, incluindo instrumentistas da Grécia, Filipinas, Rússia, Estados Unidos, Inglaterra, Israel, Coreia do Sul e Romênia, entre outros artistas nacionais. O XVII VIRTUOSI conta com patrocínio do BNDES, CORREIOS, Excelsior Seguros, incentivo do Governo do Estado de Pernambuco e Prefeitura Municipal do Recife e apoio da Prefeitura de Olinda, Prefeitura de João Pessoa, Prefeitura de Campina Grande, CEPE, Livraria Cultura, UFPB, Fundação Amazônica de Música, Dragão do Mar e Dorisol Grand Hotel Recife.

Programação – A abertura do II VIRTUOSI PELA PAZ – MARATONA VIRTUOSI BNDES fica por conta da Orquestra Virtuosi sob a regência do Maestro Rafael Garcia com um programa que executa a obra “Metamorfose” de Richard Strauss, homenageado do evento por ocasião de seus 150 anos de nascimento.

Acredita-se que “Metamorfose” foi escrita como um lamento à destruição da Alemanha na segunda guerra mundial, em particular ao bombardeio devastador que houve em Munique destruindo o Teatro de Ópera dessa cidade. Nessa obra Strauss usa explicitamente tema da Marcha Fúnebre da Sinfonia nº 3 de Beethoven. Serão solistas neste momento os violinistas Giora Schmidt e Soh-Hyun Park Altino, a pianista Ana Lucia Altino e o violoncelista Leonardo Altino.

A programação do II VIRTUOSI PELA PAZ continua às 22h com a apresentação do trombonista sueco Christian Lindberg e do pianista filipino Victor Asuncion interpretando peças de Launy Gröndahl, John Cage, Lindberg e Schumann. Às 23h, o violinista Benjamin Schmid, considerado um dos maiores violinistas do mundo dos últimos 50 anos, faz um recital com obras de Bach, Eugene Ysaye e Paganini.

Roby-Lakatos

A partir da meia-noite, o excêntrico violinista romeno Roby Lakatos (foto) sobe ao palco do Teatro de Santa Isabel acompanhado de seu grupo. O percussionista Naná Vasconcelos e DJ Dolores se encontram na programação às 01h da madrugada em uma apresentação marcada pelo improviso e mesclando bases eletrônicas com ritmos afrobrasileiros.

O grupo britânico Stringfever faz um show especial às 02h misturando em seu repertório obras consagradas de Vivaldi e Brahms com músicas do repertório pop mundial incluindo Beatles e Chuck Berry aos temas do personagem James Bond. Às 03h, o austríaco Benjamin Schmid (foto) retorna ao palco apresentando um show de jazz com homenagens a Django Reinhardt e Stephane Grappelli.

Photo - Benjamin-Schmid

Um dos destaques da maratona acontece às 13h do sábado com o concerto especial da Orquestra Jovem de Pernambuco que terá como solista o pianista Artur Moreira Lima e obras de Tchaikowsky e Johan Strauss. Ao longo da tarde apresentam-se ainda os grupos Ensemble São Paulo, Unirio Metais, Duo Altino, Catalin Rotaru & Anastasia Zhivotovskaya e Mendelssohn Octeto.

A maratona se encerra às 20h do sábado (13) com a Orquestra Virtuosi apresentando o programa GULDA, KREISLER, ELLINGTON & LINDBERG. Este será um programa dedicado ao Jazz sinfônico, apresentando ainda duas peças de Duke Ellington (Prelúdio para um beijo e Caravan – arranjos de Michael Abene). O concerto ainda terá como solistas Leonardo Altino no cello, Benjamin Schmid no violino e o trombonista Christian Lindberg que apresenta uma peça de sua autoria no evento.

PROGRAMAÇÃO

12|SEXTA

20h – “STRAUSS & BEETHOVEN”
ORQUESTRA VIRTUOSI – RAFAEL GARCIA, regente

22h – CHRISTIAN LINDBERG (trombone) & VICTOR ASUNCION (piano)

23h – BENJAMIN SCHMID (violino)

13|SÁBADO

00h – ROBY LAKATOS ENSEMBLE
ROBY LAKATOS, violino | JENO LISZTES, cymbalom | KALMAN CSEKI, piano | LASZLO BALOGH, guitarra

01h – NANÁ VASCONCELOS & DJ DOLORES

02h – STRINGFEVER QUARTET CONCERT
GILES BROADBENT, Violectra com 5 cordas | RALPH BROADBENT, Violectra com 6 cordas | NEAL BROADBENT, Violectra com 6 cordas | GRAHAM BROADBENT, Violectra com 5 cordas

03h – BENJAMIN SCHMID & JAZZ QUARTET
BENJAMIN SCHMID, violino | DIKNU SCHNEEBERGER, guitar | JOSCHI SCHNEEBERGER, bass | MARTIN SPITZER, Guitar

04h – PAUSA/MÚSICA A CÉU ABERTO

09h – ENSAIO ABERTO
ORQUESTRA VIRTUOSI – RAFAEL GARCIA, regente

13h – ORQUESTRA JOVEM DE PERNAMBUCO
ARTHUR MOREIRA LIMA, piano | RAFAEL GARCIA, regente

14h – ENSEMBLE SÃO PAULO & RAVI SHANKAR
BETINA STEGMANN, violino | MARCELO JAFFÉ, viola | ROBERT SUEHOLZ, cello | RAVI SHANKAR, oboé

15h – UNIRIO METAIS & CHRISTIAN LINDBERG
NAILSON SIMÕES E MAICO LOPES, trompete | TIAGO CARNEIRO, trompa | WANDERSON CUNHA, trombone | ALBERT KHATTAR, tuba

16h – DUO ALTINO
SOH-HYUNPARK ALTINO, violino | LEONARDO ALTINO, cello

17h – CATALIN ROTARU (contrabaixo) & ANASTASIA ZHIVOTOVSKAYA (piano)

18h – MENDELSSOHN OCTETO
GIORA SCHMIDT, YANNOS MARGAZIOTIS, BETINA STEGMANN, PAULA BUJES, violinos | PAUL CORTESE, MARCELO JAFFÉ, violas | KIM BAK DINITZEN, ROBERT SUEHOLZ, cellos

20h – “LINDBERG, KREISLER, ELLINGTON & GULDA”
ORQUESTRA VIRTUOSI – RAFAEL GARCIA, regente

XVII VIRTUOSI
Local: Teatro de Santa Isabel – Praça da República – Recife
Sexta (12) – 20h – II Virtuosi Pela Paz – Maratona Virtuosi BNDES
Sábado (13) – 00h às 20h – II Virtuosi Pela Paz – Maratona Virtuosi BNDES
Entrada Gratuita