XIX VIRTUOSI SE EXPANDE COM CONCERTOS NO BRASIL, URUGUAI, ARGENTINA E CHILE

Seção: Sem categoria, Tour

O Ministério da Cultura e o BNDES apresentam o XIX VIRTUOSI – Festival Internacional de Música de Pernambuco que ocorre de 10 a 19 de dezembro. Nesta edição, o festival acontece não apenas no Nordeste brasileiro, mas ainda na Argentina, Uruguai e Chile com uma programação que se caracteriza pela excelência de seu repertório e de sua execução em peças clássicas e contemporâneas. Pelo sétimo ano consecutivo, o VIRTUOSI acontece em diferentes localidades além do Recife, com concertos e recitais nas cidades de Buenos Aires, Montevidéu, Santiago, Olinda, João Pessoa, Natal, Salvador e Fortaleza.

Um dos grandes destaques na programação é o primeiro concerto do Virtuosi na Bomba do Hemetério no dia 10 de dezembro. Um dos bairros do Recife com maior movimentação cultural vai ter a honra de receber um concerto ao ar livre com a Orquestra Jovem de Pernambuco sob a Regência do Maestro Rafael Garcia e a presença  do Maestro Forró como solista.

O VIRTUOSI 2016 conta com patrocínio do BNDES, CHESF, STN, Excelsior Seguros, incentivo do Funcultura e apoio da Prefeitura do Recife, Consulado Americano, Consulado Geral da França, CEPE, MAMAM, CCK, Sala VERDI, Universidad Católica de Chile, UFPB, UFBA, Teatro de Cultura Popular Chico Daniel, Dragão do Mar e Dorisol Grand Hotel Recife.

O XVIX Virtuosi realiza o VI VIRTUOSI DIÁLOGOS promovendo palestras com o jornalista Irineu Franco Perpétuo com o tema “Aprendendo a ouvir Música Clássica” no MAMAM, dias 13, 14 e 15 às 10h. Os interessados poderão se inscrever no site www.virtuosi.com.br. A programação do XIX VIRTUOSI será totalmente gratuita.

Concertos – A abertura do XIX VIRTUOSI acontece no dia 10 de dezembro às 19h no bairro da BOMBA DO HEMETÉRIO no Recife. Com a participação do trompetista Maestro Forró, a Orquestra Jovem de Pernambuco apresentará um programa de música clássica sob a direção do Maestro Rafael Garcia. O programa se encerra com músicas de natal arranjadas pelo Maestro Forró para orquestra e coro. O bairro  teve seu nome originado de uma bomba de água colocada sobre um poço por um morador da localidade chamado Hemetério.

No dia 11, às 18h, inicia-se a TOUR NORDESTE do Virtuosi que leva o festival para Olinda, João Pessoa, Natal, Fortaleza e Salvador. O concerto em Olinda será realizado no Convento de São Francisco e apresentará a violinista coreana/alemã Clara-Jumi Kang, uma das vencedoras do último Concurso Tchaikowsky realizado em 2015. Clara-Jumi Kang foi aluna do maior professor de violino da atualidade: Zakhar Bron. A violinista foi uma criança prodígio apresentando-se desde os cinco anos de idade como solista de orquestra sinfônica. Vencedora de vários prêmios internacionais, destacou-se com o Internacional de Indianápolis recebendo além do primeiro prêmio, cinco outros especiais. Toca com um violino Stradivarius de 1708, “Ex-Strauss” cedido pela Fundação Samsung da Coréia.

A TOUR NORDESTE apresenta o Trio con Brio Copenhagen nos dias 14 em João Pessoa e 15 em Salvador, com ambos os concertos às 20h. O primeiro acontece na Sala Radegundis Feitosa da UFPB e o segundo no Museu de Arte Sacra da UFBA. Fundado em Viena, o trio está em grande demanda internacional com uma agenda intensa de concertos em todo o mundo. Nos últimos anos, o Trio con Brio Copenhagen tem aparecido nas principais salas de concerto da Europa, EUA e Ásia. Venceu a maioria das competições internacionais incluindo a ARD (Munique), Vittorio Gui (Florença) e Trondheim (Noruega). O violinista Soo-Jin toca em um instrumento de Andrea Guarneri do século 17, Soo-Kyung toca um violoncelo Grancino, e o pianista Jens é o primeiro Steinway Artist da Dinamarca.

Já o duo Rodrigo Ferreira & Ronan Khalil, contratenor e cravista, estarão se apresentando dia 14 em Natal (Teatro de Cultura Popular Chico Daniel ) e dia 16 em Fortaleza (Auditorio Dragão do Mar). O brasileiro Rodrigo Ferreira tem uma vida muito ativa participando de várias óperas com papéis principais e junto com o cravista Ronan Khalil realizam numerosos concertos e recitais na França e recentemente em Cuba. O duo participa do Virtuosi com apoio do Consulado Geral da França.

De volta ao Recife, a programação do VIRTUOSI prossegue nos dias 12, 13, 14 e 15 com concertos de câmara na Ordem Terceira de São Francisco do Recife, sempre às 19h.  No dia 12, o Ensemble São Paulo & Luiz Afonso apresentam o CD “Quinteto para Clarinete & Cordas” com obras de Brahms, Reale e Escobar. No dia 13, o programa “A voz e o violino” apresenta a soprano Manuela Freua (SP) e o violinista americano Benjamin Sung com obras de Clarke, Williams, Kurtag e Villa-Lobos. A Orquestra Virtuosi de Pernambuco sob a regência do Maestro Rafael Garcia apresenta no dia 14 um concerto que será levado na tour internacional tendo como solistas o violista Rafael Altino e a violinista Clara-Jumi Kang. Finalmente, no dia 15, o duo Rodrigo Ferreira & Ronan Khalil se apresenta em Recife com o programa “Música por um Tempo”.

O Teatro de Santa Isabel abriga a Série Vicente Fittipaldi com apresentações nos dias 16, 17 e 18 sempre às 20h. A programação no teatro se inicia com o recital da pianista russa/alemã Kristina Miller-Koeckert que executa um programa virtuosístico. Natural de Moscou, aos seis anos foi convidada para estudar na escolar especial de música para crianças talentosas de São Petersburgo. Desde os 12 anos se apresenta pela Europa, Estados Unidos e Oceania. No dia 17, será a vez de subir ao palco o pianista Victor Asuncion, grande artista já conhecido do público pernambucano. O festival se despede de Recife no dia 18 às 18h com a apresentação do Trio con Brio Copenhagen.

Enquanto se realiza a TOUR NORDESTE e os concertos no Recife, o VI VIRTUOSI DIÁLOGOS acontece no Auditório do MAMAM nos dias 13, 14 e 15 das 10h às 12h. Serão talks com o jornalista Irineu Perpétuo com o tema “Apresendendo a ouvir música clássica” em mais uma edição de sucesso. As inscrições são gratuitas e estarão disponíveis no site www.virtuosi.com.br.

A TOUR INTERNACIONAL que conta com o patrocínio do BNDES e incentivo do FUNCULTURA será realizada de 16 a 19 de dezembro em três países. Os concertos ocorrem dia 16 às 20h na Sala VERDI em Montevidéu; dia 18 às 18h no Centro Cultural Kirchner em Buenos Aires e dia 19 às 19h30 no Conjunto Andrónico Luksic na Universidad Católica de Santiago no Chile.

O programa da turnê é formada por obras de Vivaldi tendo como solista o flautista Horácio Massone (Argentina); obras de Paganini com o solista Rafael Altino; Saint-Saens e Sarasate com a solista Clara-Jumi Kang e peças de Marlos Nobre e Grieg com a Orquestra Virtuosi. No Chile será solista também o violoncelista Leonardo Altino.

Serviço:

Todos os concertos são gratuitos.

 

PROGRAMA

ORQUESTRA VIRTUOSI

Rafael Garcia, director artístico

 

RECIFE | ORDEM TERCEIRA DE SÃO FRANCISCO

 

14 | QUARTA

Edino KRIEGER [1928]

Brasiliana para viola e cordas

 

Niccolò PAGANINI [1782-1840]

Sonata per la Gran Viola, Op.35, MS 70

Introduzione: Larghetto – Recitativo a piacere

Cantabile: Andante sostenuto

Tema con Variazioni

RAFAEL ALTINO, viola

 

Marlos NOBRE [1939]

Biosfera para orquestra de cordas, Op.35

VariantesPostludio

 

Camille SAINT-SAËNS [1835-1921]

Introduction et Rondo Capriccioso, Op. 28

 

Pablo de SARASATE [1844-1908]

Carmen Fantasy, Op.25

CLARA-JUMI KANG, violino

 

Edvard GRIEG [1843-1907]

Holberg Suite, Op. 40

Praeludium (Allegro vivace)

Sarabande (Andante)

Gavotte (Allegretto)

Air (Andante religioso)

Rigaudon (Allegro con brio)

 

MONTEVIDEO | SALA VERDI

16 | SEXTA 20h

Antonio VIVALDI [1678-1741]

Concerto en Dó mayor para piccolo

Allegro – Largo – Allegro molto

HORACIO MASSONE

 

Edino KRIEGER [1928]

Brasiliana para viola y cuerdas

 

Niccolò PAGANINI [1782-1840]

Sonata per la Gran Viola, Op.35, MS 70

Introduzione: Larghetto – Recitativo a piacere

Cantabile: Andante sostenuto

Tema con Variazioni

RAFAEL ALTINO

 

Marlos NOBRE [1939]

Biosfera para orquesta de cuerdas, Op.35

VariantesPostludio

 

Camille SAINT-SAËNS [1835-1921]

Introduction et Rondo Capriccioso, Op. 28

 

Pablo de SARASATE [1844-1908]

Carmen Fantasy, Op.25

CLARA-JUMI KANG

 

Edvard GRIEG [1843-1907]

Holberg Suite, Op. 40

Praeludium (Allegro vivace)

Sarabande (Andante)

Gavotte (Allegretto)

Air (Andante religioso)

Rigaudon (Allegro con brio

 

BUENOS AIRES | CENTRO CULTURAL KIRCHNER

18 | DOMINGO  18h

Antonio VIVALDI [1678-1741]

Concerto en Dó mayor para piccolo

Allegro – Largo – Allegro molto

HORACIO MASSONE

 

Edino KRIEGER [1928]

Brasiliana para viola y cuerdas

 

Niccolò PAGANINI [1782-1840]

Sonata per la Gran Viola, Op.35, MS 70

Introduzione: Larghetto – Recitativo a piacere

Cantabile: Andante sostenuto

Tema con Variazioni

RAFAEL ALTINO

 

Marlos NOBRE [1939]

Biosfera para orquesta de cuerdas, Op.35

VariantesPostludio

 

Camille SAINT-SAËNS [1835-1921]

Introduction et Rondo Capriccioso, Op. 28

 

Pablo de SARASATE [1844-1908]

Carmen Fantasy, Op.25

CLARA-JUMI KANG

 

Edvard GRIEG [1843-1907]

Holberg Suite, Op. 40

Praeludium (Allegro vivace)

Sarabande (Andante)

Gavotte (Allegretto)

Air (Andante religioso)

Rigaudon (Allegro con brio

 

SANTIAGO | COMPLEJO ANDRÓNICO LUKSIC ABAROA

19| LUNES  19h30

Antonio VIVALDI [1678-1741]

Concerto en Dó mayor para piccolo

Allegro – Largo – Allegro molto

HORACIO MASSONE

 

Richard WAGNER [1813-1883]

Albumblatt – Romance WWV 64 (arr. Wilhelm)

YEHEZKEL YERUSHALMI

 

Edino KRIEGER [1928]

Brasiliana para viola eycuerdas

 

Niccolò PAGANINI [1782-1840]

Sonata per la Gran Viola, Op.35, MS 70

Introduzione: Larghetto – Recitativo a piacere

Cantabile: Andante sostenuto

Tema con Variazioni

RAFAEL ALTINO

 

Marlos NOBRE [1939]

Biosfera para orquesta de cuerdas, Op.35

VariantesPostludio

 

Joseph HAYDN [1732-1809]

Concerto para cello y orquesta de cuerdas en Dó mayor

Moderato – Adagio – Allegro molto

LEONARDO ALTINO, cello

 

Edvard GRIEG  [1843-1907]

Holberg Suite, Op. 40

Praeludium (Allegro vivace)

Sarabande (Andante)

Gavotte (Allegretto)

Air (Andante religioso)

Rigaudon (Allegro con brio)

 

ORQUESTA VIRTUOSI DE PERNAMBUCO

RAFAEL GARCIA, regente

 

ORQUESTRA VIRTUOSI

1º Violino
Yehezkel Yerushalmi
Yannos Margaziotis
Dorota Siuda
Benjamin Sung
Betina Stegmann

2º Violino
Anna Zeliadnovejo
Vladimir Yosifov
Nelson Rios
Yerko Tabilo

Violas
Rafael Altino
Raimund Eckertz
Asbjorn Norgaard
Marcelo Jaffé

Cello
David Bjella
Raif Dantas
Robert Suetholz

Contrabaixo

Waldir Bertpaglia | José Pablo De La Paz

FICHA TÉCNICA

Direção Artística: RAFAEL GARCIA

Coordenação: ANA LUCIA ALTINO

Tour Manager: RICARDO GARCIA

Realização: VIRTUOSI SOCIEDADE ARTÍSTICA LTDA

Produção: CODA

Assessoria de imprensa: ANA GARCIA E LUMA ARAUJO
www.coquetelmolotov.com.br

Criação gráfica: PEDRO INOUE / BÚFFALO
Mais informações: 3363-0138   www.virtuosi.com.br

 

ORQUESTRA VIRTUOSI DE PERNAMBUCO

A Orquestra Virtuosi foi criado pelo maestro Rafael Garcia, formada para atender as necessidades dos projectos levados a cabo pela Sociedade Artística Virtuosi. Virtuosi Orchestra consiste principalmente de músicos nacionais e internacionais. Através de projetos Petrobras Orchestra gravou o CD intitulado “A música clássica pernambucanos compositores populares”, com grande impacto e crítica publicada na revista Bravo!.

O crítico de música Luis Antonio Spins disse em revista Gramophone:

“… O CD é incrível, tanto repertório imaginativo como o excelente desempenho da Orquestra Virtuosi, composto por 80 instrumentistas pelo diretor e violinista Rafael Garcia…

Gravado ao vivo em Santa Isabel, o programa contribui para ointe romper com os supostos limites entre fontes populares e eruditas … o caráter retro, modais e populares reinar sobre dentro de duas horas de um álbum exemplar … “

A Orquestra Virtuosi é versátil e sua formação depende da programação a ser realizada. O projeto em questão Orquestra Virtuosi de Pernambuco terá uma orquestra de cordas. E, é claro, apresentará solistas da cena musical nacional e internacional.

Há 19 anos a orquestra existe em diferentes configurações e com diferentes artistas. É uma orquestra diferenciada que possui artistas de formação que desempenham um papel importante um papel importante fora do país, como o Concertino Yehezkel Yerushalmi, que exerce a função de concertino da Orquestra Maggio Musical de Florença sob a batuta de Zubin Mehta, um dos maiores diretores da atualidade.

A Orquestra Virtuosi já tocou com grandes solistas nacionais e internacionais, como Antonio Meneses (Brasil), Suren Bagratuni (EUA), Eiko Senda (Brasil), Alexander Timchenko (Rússia), Natalia Khoma (Ucrânia), Rafael Altino (Brasil) Leonardo Altino (Brasil), Ilya Ramlav (Rússia), Victor Assunção (EUA), Christian Lindberg (Suécia), Roland Pöntinen (Suécia), Benjamin Schmid (Áustria), Mikkel Futrup (Dinamarca), Gabriela Pacce (Brasil) , entre muitos outros.

Uma característica importante da orquestra é estar aberto para apresentar primeiras audições mundiais e nacionais em festivais Virtuosi. Entre as obras estreadas estão a ópera Dulcinéia e Trancoso, Armorialis, Parandares, Requiem para um trombone, Cara e coragem – Memorial Musical Luiz Gonzaga, obras do compositor nordestino Eli-Eri Moura, Concertino para violoncelo e orquestra Clovis Pereira, Steppenwolf para viola e orquestra de Christian Lindberg, entre outros. A orquestra também realiza estreias em Recife de obras como Metamorfoses de Richard Strauss, Das Lied von der Erde Mahler, Pierrot Lunaire de Schoenberg, Harold na Itália de Berlioz, Concerto para violoncelo e orquestra de jazz de Gulda, Wings para violino e orquestra também de Gulda, e muitas outras obras.

Em 2015 a orquestra apareceu em Buenos Aires na Usina del Arte e Montevidéu, sala de Nelly Goitiño Sodré. Foram dois concertos de sucesso com excelente crítica. programa diversificado destacados solistas Horacio Massone, Rafael Altino, Yehezkel Yerushalmi, Catalin Rotaru e Leonardo Altino.

 

RAFAEL GARCIA, regente

Rafael Garcia, um chileno de nascimento, coração do Brasil, é o fundador, diretor artístico e regente do Festival Virtuosi. Pernambucana pianista casado com Ana Lucia Altino, Rafael caiu no amor com o Brasil em 18 anos, uma paixão que o fez rejeitar trabalhos em orquestras na Suécia, Alemanha e outros países europeus para se instalarem no Recife! Ele ocupou vários papéis como violinista, professor, diretor artístico, maestro, criador e coordenador importante para o desenvolvimento da música nos projectos culturais da região. Ao longo dos anos ganhou oportunidades significativas como o cargo de concertino da Orquestra Sinfônica de São Paulo com o maestro Eleazar de Carvalho; a execução do movimento musical na Paraíba; o professor da New England Conservatory e criação de Lexington Music Festival, em Boston; a criação e revitalização da Orquestra Jovem de Pernambuco, entre outros, e, finalmente, os festivais Virtuosi, o maior projeto de todos, a qualidade da marca e excelência artística. Rafael Garcia destacou o compromisso incansável no esforço para espalhar a música clássica eterna em todos os segmentos e em todos os lugares onde é uma oportunidade de vislumbrar.

 

CLARA-JUMI KANG, violino

Estudou na Universidade de Música de Lübeck com o Zakhar Bron. Foi criança prodígio apresentado-se aos 5 anos de idade com as Orquestras Gewandhaus de Leipzig, Sinfônica de Hamburgo, e Filarmônica de Seul. Aos 9 anos gravou o Concerto Tríplice de Beethoven para o selo Teldek. Foi vencedora de vários concursos internacionais: Seul (2009), Hannover (2009), Sendai (2010) e o famoso Internacional de Indianápolis levando cinco prêmios especiais.  Lançou o CD solo “Modern” pela Decca. Toca num Stradivari de 1708, “Ex-Strauss”, cedido pela Fundação Cultural Samsung da Coréia. Foi uma das laureadas no Concurso Tchaikowsky.

 

RAFAEL ALTINO, viola

Principal viola da Sinfônica de Odense, na Dinamarca, iniciou seus estudos musicais no Brasil, com seu pai Rafael Garcia. Aos 17 anos mudou-se para os Estados Unidos, onde recebeu diplomas Bacharel NEC, Boston e mestre da Juilliard School of Music. Participa de festivais e concertos em vários países, incluindo o Brasil, França, Grécia, Japão, Noruega, Espanha, Suécia, Taiwan e Reino Unido, entre otross. Leciona em Carl Nielsen Academy of Music Odense e Malmo, Suécia. Ele joga em um autor francês viola 1700 desconhecido com um arco James Tubbs fornecido pelo Odense Symphony Instrumentfonden.

 

HORACIO MASSONE, flautim

Originalmente da Argentina, Horacio Massone é agora conhecido como uma estrela em ascensão do piccolo. Ele recebeu seu diploma no Conservatório “Luis Gianneo”, Buenos Aires, e mais tarde entrou para a Orquestra Acadêmica do Teatro Colón, estudando com Oscar Piluso e Claudio Barile. Massone deu palestras para o Programa Nacional Orquestra Juvenil em Buenos Aires, Scuola Civica di Milano e da Convenção NFA, EUA Ele ensinou no Conservatório de Música de Tres Arroyos. Desde 2011, ele é presidente do Congresso Internacional de flauta em La Plata. Ele ganhou muitos prêmios e competições nacionais, como solista com as principais orquestras da Argentina

LEONARDO ALTINO, cello

Primeiro Prêmio no Concurso Internacional de Violoncelo de Viña Del Mar/Chile, estudou na Yale University, no NEC, na Universidade de Illinois e na Musikhochschulle de Detmold. Foi solista das principais orquestras brasileiras assim como  de várias orquestras americanas, Sinfônica do Chile e Sinfônica de Bogotá, entre outras.Apresenta-se frequentemente nos Estados Unidos, Canadá, Brasil, Coréia, Taiwan, Alemanha, Chile e Colômbia. É Professor da Rudy Scheidt School of Music da Universidade de Memphis e membro do Cerutti String Quartet. Gravou o CD Poema com a obra completa para cello do compositor Marlos Nobre.

 

YEHEZKEL YERUSHALMI, violino

Nascido em Israel, estudou com Ram Shevelov e atendeu master classes com Menuhin, Stern e Szering. Apresentou-se como solista nos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Rússia, Espanha, França, Itália, Israel e outros países tocando com renomados regentes, entre eles Mehta, Giulini, Mazel, Osawa. Foi “spalla” de muitas orquestras como a Israel Chamber Orchestra, Stuttgart Philharmonic, Suisse Romande, Sinfônica de São Paulo. É primeiro spalla da Orchestra del Maggio Musicale Fiorentino à convite do diretor e maestro Zubin Mehta. É criador do festival de verão “Estate Regina”, Montecatini (Itália).

 

SALAS DE CONCERTO

Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco do Recife

Em 1801, compreenderam os irmãos terceiros que a Capela Dourada, tão rica de ouro e de talha “já não corres­pondia ao progresso da época nem tão pouco à dignidade da Ordem que sendo criada por meio de esmolas, delas tendo sempre vivido, por elas também se tinha tornado abastada”.

Deste modo, tendo-se nesse ano de 1801, obtido a necessária licença do Rev. Capítulo, resolveu-se, em Mesa Conjunta de 14 de outubro de 1803, sendo ministro o irmão Manoel de Oliveira Guimarães, que se levantasse um fron­tispício na “Casa do Noviciado”, para que esta ficasse ser­vindo de Igreja Principal e a Capela Dourada passasse a ser, então, “Capela dos Noviços“, fechando-se, para isto, o grande arco existente entre esta igreja e a do Convento (o que aliás nunca se executou) e levantando-se o dito frontispício da nova igreja principal sobre os mesmos alicerces que já exis­tiam, nada se devendo inovar na sacristia que continuaria a servir para esse mesmo mister, visto como, sem se tocar nela, seria possível executar a capela mór, da nova igreja, abrindo-se entretanto, no muro da frente, um grande portão.

Em seu estilo Rococó a Igreja da Ordem Terceira abriga, anexo, o Museu de Arte Sacra e a Capela Dourada, aberto, de segunda à sexta, das 08:00 às 11:30 e das 14:00 às 17:00 e nos sábados, funciona das 08:00 às 11:30. A Igreja da Ordem Terceira se encontra na Rua do Imperador S/N no Bairro de Santo Antônio.

 

 

SALA VERDI | MONTEVIDÉU

Sua construção foi fruto do esforço dos músicos uruguaios Francisco e Luis Sanbucetti que em 5 de setembro de 1890 fundaram o Instituto Verdi. A obra foi concebida pelo engenheiro britânico John Adams, quem também erigiu em Montevidéu o Teatro Victoria. Com o tempo a construção dofreu transformações arquitetônicas que modificaram substancialmente o primitivo edificio de Adams, uma em 1910 e outra em 1954, que eliminou balaustres e adornos da fachada resultando na frente estilizada atual.

Adams realizou uma fachada neoclássica e deu suntuosidade à frente, friso com grinaldas e tudo coroado por dois grupos de esculturas de caráter simbólico. Entre os lendários muros da Sala Verdi se viu atuar as maiores orquestras sinfônicas e cantores líricos da cena local e internacional. Transformado em teatro desde 1954, tem recibido grande atores nacionais e estrangeiros. Em 1946 a Sala Verdi passou a ser propriedade da Intendência de Montevidéu e faz mais de 50 anos que é uma das sedes da Comédia Nacional, elenco estável official do Uruguai, fundado em 1949.

Entre 2007 e 2009 o edificio foi submetido a uma nova reforma que teve como objetivo melhorar as estruturas da sala, dotando de melhores serviços tanto para os artistas como para os espectadores.

Desde agosto de 2011 a Sala conta com uma direção própria que nestes momentos se encontra em pleno processo de criação de um novo modelo de gestão que permita a este espaço instalar-se definiticamente como uma referência das artes cênicas do Uruguai.

Como exemplo, a Sala recebeu a reconhecidos elencos e artistas tais como: Nao d’amores (España), Espanca (Brasil), Maureen Fleming (USA), Nidia Palacios (Argentina) y Guillermo Calderón (Chile).

 

SALA ARGENTINA – CENTRO CULTURAL KIRCHNER

BUENOS AIRES

 

O Centro Cultural Kirchner de Argentina é um espaço para artes plásticas, espetáculos musicais e exposições, inaugurado em maio de 2015 e está localizado no edificio que foi anteriormente a sede do Correio Central de Buenos Aires.  É o mais importante em tamanho da América Latina e o terceiro a nivel mundial. Recebeu seu nome em homenagem ao ex presidente argentino.

Perto das comemorações do bicentenário da Revolução de Mayo o governo nacional resolveu instalar no edificio histórico do Correio Central de Buenos Aires o “Centro Cultural Bicentenário” e chamou, em 2006, a um concurso internacional de projetos a fim de decidir que novo uso  se daria para concretizar tal propósito. O primeiro prêmio foi dado aos estudios de arquitetura Bares e Asociados B4FS) de La Plata e Becker-Ferrari de Buenos Aires.

O trabalho começou no início de 2010  com a fase de restauração de fachadas, a transformação da cúpula em uma varanda envidraçada e adaptação da “parte nobre” em salas de exposição. Como parte do Bicentenário da Revolução de Maio, a presidente Cristina Fernandez de Kirchner inaugurou o primeiro setor do centro cultural em 24 de Maio de 2010. Uma exposição temática sobre figuras históricas foi realizada, retratada pelo artista Ariel Mlynarzewicz.

Durante 2012, o trabalho de construção continua na outra metade do edificio incluindo auditórios e salas de concerto.

O centro tem mais de 100 mil metros quadrados, mais de dez salas polivalentes e uma capacidade de até 5.000 visitantes. Sua inauguração final ocorreu em 21 de maio, 2015, como parte das comemorações da Revolução de Maio.

Na Área Histórica as intervenções sobre este setor valorizam o valor histórico e patrimonial do edificio sem desvirtuar sua natureza, com o objetivo de conseguir un ótimo aproveitamento dos espaços, permitindo apreciar a arquitetura e o mobiliário de época. Nesta área se destacam os salões: de Los Escudos, de Honor, los Buzones e o Eva Perón. Este último, na década de 40 serviu como despacho da esposa do Presidente Juan Domingo Perón..

A Grande Sala de Concertos ocupa um lugar central neste espaço. Trata-se de uma sala sinfônica com capacidade para 1950 espectadores, nova sede da Orquesta Sinfônica Nacional de Argentina.

 

COMPLEJO ANDRONICO LUKSIC ABAROA – SANTIAGO DO CHILE

 

A construção do edificio, que assemelha a uma gruta mineira, recebeu o Departamento de Engenharia de Minas. Além disso, tem instalações de primeira classe para acadêmicos e estudantes.

Com a presença de autoridades da Universidade Católica e representantes da família Luksic o complexo Andronico Luksic Abaroa, que abriga o Departamento de Engenharia de Minas abriu no campus de San Joaquin, juntamente com uma série de facilidades dedicadas a acadêmicos e estudantes da universidade.

Co-financiado pela Universidade Católica e a Los Pelambres Mine, parte do grupo Luksic, a construção exigiu um investimento de 4.600 milhões de pesos. “A Universidade Católica sinceramente graças ao generoso e filantrópico contribuição, que lhe permite avançar com projectos e ideias para ajudar a construir um país melhor, no interesse incansável no desenvolvimento do conhecimento e colocá-lo a serviço do povo”, disse o reitor Ignacio Sanchez na cerimônia de inauguração.

É um edifício subterrâneo, que se assemelha a forma de uma mina a céu aberto. Ele inclui escritórios da faculdade, salas para professores e estudantes que vivem; um auditório com capacidade para aproximadamente 800 pessoas (tornando-o o maior da universidade); museu de mineração, localizado na altura e forrado em cobre, e um lugar de encontro para acadêmicos.

O Auditorio do Complejo Andronico Luksic Abaroa tem uma capacidade para mais de 800 pessoas, uma das principais áreas da Pontificia Universidad Catolica de Chile para realizar cerimônias, palestras e eventos culturais, gradualmente tomando forma como um espaço para a promoção da cultura na Universidade.

A tecnologia em áudio, projeção e iluminação existente neste auditório tem permitido a realização de performances de alto nível.

Leia mais » Nenhum comentário

GALERIA: XIX Virtuosi – Dia 4 (Ordem Terceira)

Seção: Sem categoria
GALERIA: XIX Virtuosi – Dia 4 (Ordem Terceira)


Fotos: Flora Pimentel

Leia mais » Nenhum comentário

ORQUESTRA VIRTUOSI SE PREPARA PARA TURNÊ INTERNACIONAL

Seção: Sem categoria

ORQUESTRA VIRTUOSI por caroline bittencourt (266)

Nos dias 16, 18 e 19 de dezembro, a Orquestra Virtuosi de Pernambuco faz sua primeira TOUR INTERNACIONAL passando por Montevideo, Buenos Aires e Santiago. A Orquestra se compõe sobretudo de músicos nacionais e internacionais. Através de projeto da Petrobras Cultural, a Orquestra gravou o CD intitulado “A Música Clássica de Compositores Populares Pernambucanos” com grande repercussão.

A Orquestra tem atuado com importantes solistas como Antonio Meneses, Rafael Altino, Leonardo Altino, Víctor Asunción, Christian Lindberg, Roland Pöntinen, Benjamin Schmid, Mikkel Futrup e Deborah Nemtanu, entre outros.

Será um momento de grande emoção sobretudo para o Maestro Rafael Garcia, nascido no Chile e criador, diretor artístico e regente do festival VIRTUOSI. Rafael Garcia tem se destacado, no nosso meio, pelo infatigável empenho no esforço de difundir a eterna música clássica em todos os segmentos e em todos os lugares em que se vislumbre a menor chance para isso. Recentemente descobriu que o seu tataravô Adolfo Desjardin foi o fundador do Conservatório Nacional de Música do Chile.

Os concertos ocorrem dia 16 às 20h na Sala VERDI em Montevidéu; dia 18 às 18h no Centro Cultural Kirchner em Buenos Aires e dia 19 às 19h30 no Conjunto Andrónico Luksic na Universidad Católica de Santiago no Chile. A TOUR INTERNACIONAL conta com o patrocínio do BNDES e incentivo do FUNCULTURA.

Leia mais » Nenhum comentário

COBERTURA: Catalin Rotaru e Anastásia Zhivotovskaya – Conservatório Pernambucano de Musica  

Seção: Sem categoria
COBERTURA: Catalin Rotaru e Anastásia Zhivotovskaya – Conservatório Pernambucano de Musica   

Virtuosi_FloraPimentel_270

Por Josias Teófilo

No Recife, nesta quarta-feira, a grande atração foi o contrabaixista romeno Catalin Rotaru, professor da Escola de Música da Arizona State University, habitué do Festival Virtuosi há vários anos. Rotaru tocou com a pianista russa Anastásia Zhivotovskaya especialmente obras transcritas para contrabaixo, originalmente compostas para violino e violoncelo – a única obra composta para contrabaixo foi “El Choclo”, um tango de Andres Martin.

O auditório do Conservatório Pernambucano de Música estava completamente lotado, em parte por estudantes do contrabaixo. O músico João Campelo, contrabaixista da Orquestra Sinfônica do Recife, estava na platéia. Para ele, Catalin é um dos maiores contrabaixistas do mundo e o compara ao maestro alemão Carlos Kleiber (uma lenda viva da regência): “Catalin está para o contrabaixo assim como Carlos Kleiber está para a batuta”.

Ficou evidente o domínio técnico e o virtuosismo de Rotaru nas peças de Gabriel Fauré, Cesar Frank e Astor Piazzolla. A pianista tocou três peças solo que demandam grande rapidez e habilidade técnica: a transcrição de Franz Liszt sobre A morte de Isolda da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner, a Sonata em ré menor de Domenico Scarlatti, e o Etude no. 6 de Franz Liszt (inspirado nos caprichos de Paganini).

A peça final e mais aplaudida foi Le grand tango, de Astor Piazzolla, originalmente composta para violoncelo. Como bis, foi tocada outra peça de Piazzolla, a sua Ave Maria.

O programa com Catalin Rotaru e Anastásia Zhivotovskaya será repetido no sábado, dia 13, às 17h no Teatro de Santa Isabel durante a II Maratona Virtuosi pela Paz.

 

Leia mais » Nenhum comentário

COBERTURA: O fagote barroco e Valsas para fagote solo – Igreja do Carmo, Olinda

Seção: Notícias, Sem categoria
COBERTURA: O fagote barroco e Valsas para fagote solo – Igreja do Carmo, Olinda

Virtuosi_FloraPimentel_115

Por Josias Teófilo

No primeiro dia do XVII Festival Virtuosi o destaque foi o fagotista Fabio Cury, um dos poucos brasileiros atuantes como solista do seu instrumento no pais.

O palco foi a Igreja de Santo Antônio do Carmo de Olinda, barroca, completamente restaurada recentemente. O monumento do século XVIII foi o cenário perfeito para receber o primeiro recital, às 18h, com obras dos compositores barrocos Johann Fasch, Johann Sebastian Bach e Carl Philipp Emanuel Bach, assim como Georg Phillip Telemann – obras compostas na época em foi reconstruída a igreja produzindo uma curiosa harmonia musical/arquitetônica. Fabio Cury foi acompanhado pelo cravista Alessandro Santoro, filho do grande compositor brasileiro Claudio Santoro e especialista em música antiga, no recital intitulado O fagote barroco, com obras transcritas para o instrumento.

No segundo recital, este para fagote solo, foram tocadas as valsas do compositor brasileiro Francisco Mignone. Escritas entre 1979 e 1981, as valsas de Mignone são mundialmente conhecidas pelos fagotistas e consideradas verdadeiras obras-primas. O público, que lotou a Igreja do Carmo, recebeu com entusiasmo os dois recitais.

Resgate do pai Claudio Santoro

Na apresentação do primeiro recital, para fagote e cravo, o maestro Rafael Garcia ressaltou o cravista Alessandro Santoro não só como exímio músico mas também como filho do grande compositor brasileiro Claudio Santoro, autor de uma vasta obra sinfônica. Além de músico, Alessandro é um divulgador da obra do pai, mantém o domínio claudiosantoro.art.br e recentemente esteve envolvido na realização de um documentário sobre o mesmo, dirigido por John Howard Szerman.

Alessandro Santoro lamenta o fato da obra do pai ser pouco conhecida do grande público e pouco tocada pelas orquestras brasileiras, o que ele atribui às dificuldades de interpretação que a música impõe. As gravações feitas pela Osesp das sinfonias 4 e 9, regida por John Neschling, produziram, segundo ele, interesse internacional por essas obras, que passaram a ser interpretadas outras vezes. As obras que não foram gravadas, entretanto, permanecem desconhecidas do público.

Leia mais » Nenhum comentário

GALERIA: Virtuosi Gravatá (24/07)

Seção: Multimídia, Sem categoria
GALERIA: Virtuosi Gravatá (24/07)

Fotos: Flora Pimentel

Leia mais » Nenhum comentário

GALERIA: Virtuosi Gravatá (20/07)

Seção: Multimídia, Sem categoria
GALERIA: Virtuosi Gravatá (20/07)

Fotos: Flora Pimentel

Leia mais » Nenhum comentário

GALERIA: Virtuosi Gravatá (18/07)

Seção: Sem categoria
GALERIA: Virtuosi Gravatá (18/07)

Fotos: Flora Pimentel

Leia mais » Nenhum comentário

VIRTUOSI PROMOVE OITO DIAS DE CONCERTOS E RECITAIS EM GRAVATÁ COM CONVIDADOS INTERNACIONAIS

Seção: Sem categoria
VIRTUOSI PROMOVE OITO DIAS DE CONCERTOS E RECITAIS EM GRAVATÁ COM CONVIDADOS INTERNACIONAIS

VIRTUOSI - 7º Dia-18

Apresentado pela Prefeitura de Gravatá, a charmosa cidade localizada no Agreste Pernambucano, recebe pelo sexto ano consecutivo uma fina programação musical com instrumentistas de alta qualidade. Com direção musical do maestro Rafael Garcia, o VI Virtuosi de Gravatá acontece entre os dias 18 e 25 de julho na Igreja Matriz de Sant’Ana com entrada gratuita.

Diversos recitais estão programados para o festival, que apresenta pela primeira vez no Brasil, espetáculos com a pianista Tamila Salimdjanova, vencedora do Concurso Internacional de Piano BNDES 2012, o violinista norte-americano Giora Schmidt, o violoncelista russo Adrian Daurov, a pianista chinesa/americana Di Wu, o contrabaixista venezuelano Edicson Ruiz e o Duo de piano Gastesi-Bezerra. Ao lado deles, nomes conhecidos do público do Virtuosi como o filipino Victor Asuncion e o violonista Mario Ulloa fazem novas apresentações no evento.

Uma das características do Virtuosi é a preocupação em mostrar talentos da música de concerto que possuem grande precisão na execução até de obras consideradas difíceis. As atrações convidadas já conquistaram prêmios internacionais em diferentes categorias e instituições, garantindo um prestígio ainda maior ao evento. Com isso, assim como ocorre nos anos anteriores, a expectativa é de sessões lotadas, com a presença até de público de outras cidades vindo prestigiar o festival.

A sexta edição do festival recebe ainda cerca de 30 bolsistas, todos instrumentistas de cordas de Pernambuco, Paraíba, Brasília, Rio de Janeiro e outros estados que, além de integrar a orquestra do festival recebem aulas de professores como os violinistas Giora Schmidt e Clóvis Pereira Fiho; o violista Paulo Cortese; o violoncelista russo Adrian Daurov, além do contrabaixista venezuelano Edicson Ruiz.

A programação tem início na sexta feira (18) às 20h30 na Igreja Matriz de Sant’Ana com o programa “Uma Noite na Espanha” em homenagem ao grande violonista espanhol Paco de Lucía, falecido recentemente. Na apresentação haverá a execução de obras de Turina, Sarasate, Bizet e o famoso Concierto de Aranjuez tendo como solista o violonista costa riquinho Mario Ulloa.

No sábado (19), o pianista filipino Victor Asuncion apresenta um programa dedicado a Liszt, apresentando várias transcrições feitas por este compositor de obras de Schubert, Schumann, Wagner e Gounod.

O festival recebe no domingo (20) às 11h da manhã o recital do contrabaixista venezuelano Edicson Ruiz que será acompanhado ao piano por Victor Asuncion numa das obras. Edicson Ruiz saiu do projeto El Sistema da Venezuela e muito jovem foi convidado a integrar a Orquestra Filarmônica de Berlim. É um dos maiores contrabaixista do mundo atualmente.

O Duo de piano Gastasi-Bezerra formado pelos pianistas Estibaliz Gastasi e Márcio Bezerra se apresenta na segunda-feira (21). O Duo é reconhecido internacionalmente e dedica-se especialmente ao repertório de música contemporânea.

Seguindo a programação, na terça-feira (22), o festival apresenta a pianista Tamila Salimdjanova, vencedora do Concurso Internacional BNDES de Piano 2012. A presença da pianista no Festival de Gravatá foi um prêmio da Virtuosi Sociedade Artística ao vencedor do concurso. Tamila executará obras de Bach/Busoni, Debussy, Chopin e Prokovief.

No dia 23 de julho, às 20h30, sobe ao palco do evento o violoncelista russo Adrian Daurov, que vem pela primeira vez ao Brasil. Adrian divide o palco com a pianista chinesa/americana Di Wu, uma das finalistas do Concurso Van Cliburn.

Na quinta-feira (24), será a noite dos românticos com obras de Brahms e Schubert. O quarteto formado por Giora Schmidt, Paul Cortese, Adrian Daurov e Di Wu apresentará o Quarteto para piano e cordas em sol menor de Brahms. Em seguida, executam o quinteto de Schubert conhecido como “A Truta” com a participação do contrabaixista Edicson Ruiz.

O encerramento do festival ocorre na sexta-feira (25) com a Orquestra formada pelos jovens instrumentistas bolsistas do festival. O programa a ser apresentado é variado, contando com a presença de vários solistas, a exemplo de Edicson Ruiz executando o concerto de Bottesini em dó menor para contrabaixo, Adrian Daurov tocando o Concerto em dó de Haydn para cello e orquestra e Giora Schmidt tocando as Quatro Estações Portenhas de Piazzolla.

O VI Virtuosi de Gravatá tem patrocínio da Prefeitura de Gravatá e conta com o apoio da COPERGÁS, CEPE, FOLHA DE PERNAMBUCO E HOTEL CANARIU’S.

 

 

Leia mais » Nenhum comentário

Virtuosi Brasil chega a sua décima edição

Seção: Sem categoria
Virtuosi Brasil chega a sua décima edição

Trio Site

O Ministério da Cultura e CORREIOS apresentam o X VIRTUOSI BRASIL. O festival que chega a sua décima edição vem investindo na divulgação do trabalho de intérpretes e compositores da música nacional de concerto. O evento, que conta com o patrocínio do CORREIOS e do Governo Federal através da Lei Rouanet e apoio do Governo de Pernambuco , do Centro Cultural Correios Recife e da CEPE, acontece entre os dias 22 e 25 de maio no Centro Cultural Correios Recife.

Os destaques do festival neste ano são os grupos Trio Corrente, vencedor do Grammy 2014, Sujeito a Guincho, o violoncelista Leonardo Altino, a pianista Ana Lucia Altino e a Orquestra VIRTUOSI sob a regência do Maestro RAFAEL GARCIA, diretor artístico do festival. Todos os concertos são gratuitos e começam às 19h, com exceção do domingo, dia 25, que será às 17h.

Programação – A abertura do festival acontece no dia 22 de maio, sob responsabilidade do Trio Corrente, vencedor do Grammy Award 2014 de Melhor Album de Jazz Latino. Nos últimos onze anos, o Trio Corrente, composto por Fabio Torres, Paulo Paulelli e Edu Ribeiro, vem criando um som original, interpretando de forma única os clássicos do choro e da MPB, além de um crescente repertório autoral.

Nas performances do Trio, aliam-se em um agradável equilíbrio solos virtuosísticos e momentos de rara sutileza. Quando gravaram o seu primeiro álbum, Corrente (2005), em uma breve tarde no estúdio de ensaio do baterista, nenhum membro do Trio esperava o caminho que acabariam por trilhar. Logo acabaram tornando-se referência entre instrumentistas e amantes de música. Não foram poucas as comparações com os trios de samba jazz dos anos 60 como o Zimbo Trio ou o Tamba Trio, mas o fato é que, aceitando bem a muito honrosa comparação, o Trio Corrente agrega novas maneiras de encarar os standards da música brasileira.

Poucos grupos de jazz brasileiros têm se apresentado tanto no circuito nacional e internacional. Já receberam elogios de nomes como Rosa Passos, João Bosco, Raul de Sousa, Claudio Roditi e Ron Carter. Desde 2009, o Trio multiplica as colaborações com grandes com grandes artistas a exemplo de Joyce Moreno, Hamilton de Holanda, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, Anthony Wilson, Mike Stern, Stacey Kent e Paquito D’Rivera. Em 2011, o trio gravou o seu segundo álbum Volume 2, e, em 2013, com Paquito D’Rivera, o álbum Song For Maura, que ganhou o Grammy de Melhor Álbum de Jazz Latino.

No dia 23 o destaque é o violoncelista pernambucano Leonardo Altino que se apresentará com sua mãe, a pianista Ana Lucia Altino. Filho de músicos, o violoncelista brasileiro Leonardo Altino começou seus estudos musicais aos cinco anos de idade e realizou sua primeira apresentação aos oito. Aos onze, tocou pela primeira vez o Concerto nº 1 de Saint-Saëns com uma orquestra sinfônica. Sua descoberta nacional veio em 1986, aos quatorze anos, quando Leonardo foi o mais jovem vencedor no concurso “Jovens Concertistas Brasileiros”, competição nacional que o levou a se apresentar com as principais orquestras do país.

Leonardo Altino estudou no New England Conservatory of Music, na Escola Superior de Música de Detmold e na Universidade de Illinois e teve como principais professores Francisco Pino, Aldo Parisot, Laurence Lesser, Marcio Carneiro e Suren Bagratuni. Desde então, realizou concertos por todo o Brasil, Chile, Colômbia, Coréia, Taiwan, Venezuela e Estados Unidos. Elogiado pela revista Strad por sua “inteligência excepcional e som excepcionalmente elaborado”, Leonardo foi solista com as orquestras Sinfônica de Boston, Filarmonica de Bogotá, Sinfônica de Jackson, Sinfônica de Memphis, New England Chamber, Sinfônica Nacional de Chile, e do Festival Virtuosi, entre outras, sob a direcção de maestros como Eleazar de Carvalho, Mark Churchill, Isaac Karabtchevsky, David Machado, Carl Saint-Clair e Benjamin Zander entre outros.

Como camerista, tem colaborado com músicos como Monique Duphil, Ilya Gringolts, Krysa Oleh, Steven Mackey, Antonio Meneses e o Quarteto Miró. Juntamente com sua esposa, Soh-Hyun Park Altino, e o pianista Victor Asuncion, Leonardo participa do recém formado Dunamis Trio. Professor apaixonado e mentor de jovens músicos, Leonardo faz parte do corpo docente da Escola de Música Rudi Scheidt da Universidade de Memphis, Tennessee. É frequentemente convidado para realizar master classes e ensinar em vários festivais ao redor do mundo, incluindo o Festival y Academia Nuevo Mundo, Campos do Jordão, Duxbury, Fábrica de Música, MIMO e nos festivais Virtuosi.

Há mais de trinta anos que Ana Lúcia e Leonardo, um duo formado por mãe e filho, se apresentam em locais como Nova York, Boston, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Santiago e muitas outras cidades nos Estados Unidos e no Brasil. Frequentemente o duo viaja com o violinista Rafael Garcia, marido há 45 anos de Ana Lúcia e pai de Leonardo. Rafael e Ana Lúcia foram mentores, professores, treinadores, colaboradores, companheiros de viagem, apoiadores e inspiração para Leonardo, que agradece pelo incentivo e amor inabaláveis.

O festival segue no dia 24 com a participação do quinteto de clarinetes Sujeito a Guincho. Riqueza de timbres, expressividade e versatilidade, são as características mais marcantes do quinteto, que vem se apresentando nas mais importantes salas de concerto do Brasil, como o Teatro Municipal de São Paulo, Sala São Paulo, Teatro Alfa, CCBB, unidades do SESC e SESI e Sala Cecília Meireles, entre outras. Venceu o VIII Prêmio Eldorado de Música em 1995 e tem dois Cds gravados. O primeiro, recebeu o Prêmio Sharp em 1996 na categoria de melhor Grupo Instrumental, e o segundo, “Die Klarinetmaschine”, foi lançado em 1999.

Sujeito a Guincho se apresentou durante o Clarinet Fest, encontro mundial de clarinetistas, em 1997 (Texas), 1998 (Columbus) e 2001 (New Orleans) com grande sucesso do público e crítica. Apresentou-se também em Moscou no Conservatório Tchaikovsky e tem participado de shows e cds com Monica Salmaso, Antônio Nóbrega, Léa Freire e Ricardo Teperman/Danilo Moraes além de participarem como solistas do concerto comemorativo aos 450 anos de São Paulo junto à Orquestra Experimental de Repertório (Teatro Municipal de São Paulo).

Em seu encerramento, no dia 25, o VIRTUOSI BRASIL formou a Orquestra Virtuosi com músicos de vários lugares do país e que vai se apresentar sob a regência do Maestro Rafael Garcia. A Orquestra Virtuosi existe apenas para atender aos festivais VIRTUOSI e está constituida por músicos especialmente selecionados para isso. Pernambuco voltou ao cenário nacional e internacional graças ao festival, que com sua orquestra tem trazido grandes solistas nacionais e internacionais, já tendo participado de concertos na Sala São Paulo (SP).

Quando João Carlos Martins regeu pela primeira vez a Orquestra Virtuosi, ele declarou com grande surpresa: “ao baixar a batuta, pensei estar em Nova York ou Viena” devido à qualidade da orquestra. Esta mesma orquestra celebrou os 70 anos do maior compositor brasileiro vivo, o Maestro Marlos Nobre, atual regente da Orquestra Sinfônica do Recife. Desta vez, a Orquestra terá instrumentistas dos estados de São Paulo, Rio, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. O solista será o violoncelista Leonardo Altino que, entre outras coisas, apresentará o Concertino para cello e orquestra de Clóvis Pereira.

CONCERTOS AULA

O X VIRTUOSI BRASIL oferece dois concertos aula nos dias 22 e 23 respectivamente com o Trio Corrente e o violonelista Leonardo Altino. Os concertos aula acontecem no Centro Cultural Correios Recife às 16h.

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

Para celebrar os 10 anos de VIRTUOSI BRASIL, uma exposição de fotos dos 10 anos de festival será realizada. Serão fotos dos artistas e grupos que participaram das edições anteriores do evento. A abertura da exposição será no dia 22 de maio às 18h, antes do primeiro concerto, e ficará aberta a visitação até o dia 30 de maio.

O X VIRTUOSI BRASIL conta com o patrocínio do CORREIOS e do Governo Federal através da Lei Rouanet e apoio do Governo de Pernambuco , do Centro Cultural Correios Recife e da CEPE.

 

Leia mais » Nenhum comentário