Reflexões sobre a interpretação e memória musical brasileira norteiam as idéias do Grupo Anima, atração escalada para o segundo dia do VII VIRTUOSI BRASIL, no Centro Cultural dos Correios, às 19h. Produzido pelo Maestro Rafael Garcia e pela pianista Ana Lúcia Altino, a sétima edição do festival é gratuita e presta homenagens à Almeida Prado, compositor brasileiro falecido no ano passado.

O Grupo Anima Musica Mundi et Instrumentalis chega ao Recife com o espetáculo “Donzela Guerreira – encontro entre anima e animus”. O espetáculo está dividido em três atos: O Tempo Mítico (Anima), O Sangue Fecunda a Terra (Animus) e A Revelação e o Encontro (Animus e Anima).

Formado há 20 anos, em cima dos princípios interpretativos que norteiam até hoje o grupo e foram ampliados e transformados através das múltiplas formações pelas quais passou desde então. A partir de 1991, a rabeca brasileira assumiu papel central na formação do ANIMA, através do músico, compositor e pesquisador José Eduardo Gramani.

Atualmente o grupo é composto por Gisela Nogueira (viola de arame), Luiz Fiaminghi (rabecas brasileiras e vielle), Marília Vargas (soprano), Marlui Miranda (voz e percussão), Paulo Dias (percussão), Silvia Ricardino (harpa medieval), Valeria Bittar (flautas doce históricas e flautas indígenas brasileiras).

O VII VIRTUOSI continua até o próximo domingo, 15 de maio, com Leonardo Altino e Orquestra Jovem de Pernambuco.

SERVIÇO:
ONDE:
CENTRO CULTURAL CORREIOS RECIFE (Av. Marques de Olinda, 262, Recife Antigo)
QUANDO: 12 a 15 de maio
ENTRADA FRANCA
Mais informações:
www.virtuosi.com / 81 33630138