Entrevista em staccato com Olivier Moulin

Enquanto você lê a entrevista abaixo, escute o pianista francês tocando a Totentanz de Liszt, que ele interpretará hoje no Virtuosi.

***

1. Você já esteve no Recife antes? O que você espera encontrar em nossa cidade e especialmente no Virtuosi?
É minha primeira vez no Recife, no Brasil e na América do Sul. Estou muito animado para chegar logo ao Recife e tocar esse programa dedicado a Liszt no Virtuosi. Estou feliz por viajar e descobrir a cultura brasileira, o povo brasileiro, e sinto que o Recife é uma cidade muito bonita: já vi algumas fotos pela Internet. E agora, é verão!

2. De todas as peças de Liszt que você vai tocar no Virtuosi, quais são as mais difíceis (sabendo-se que nada de Liszt é fácil)?
Todas as peças de Liszt são difíceis, mas penso que, dentre as peças que irei tocar no Virtuosi, a mais difícil tecnicamente talvez seja Totentanz. Ela é uma obra original para piano solo e orquestra. Nesta formação ela já é muito dura, mas na transcrição para piano solo ela é muito mais porque Liszt combina piano e orquestra juntos para somente um instrumentista tocar!! Às vezes é algo inexecutável. Musicalmente, eu diria que a Sonata é muito difícil. Penso eu: é uma obra escrita em somente um movimento, que dura trinta minutos, portanto a unidade arquitetural da peça é altamente árdua de se restaurar.

3. Você poderia falar um pouco sobre a importância de Nuages gris na obra de Liszt?
Nuages gris (Nuvens cinzentas) é um dos mais célebre lamentos de Liszt. Sua forma é extremamente simples: a segunda metade da peça é essencialmente nada mais do que uma repetição da primeira. As harmonias e dissonâncias não usuais são quase impressionistas em seu caráter e estão definitivamente à frente do tempo de Liszt. Quando você ouve essa peça, pode perceber as técnicas seriais da nova escola de Viena, de Schoenberg, Webern e Berg. Nuages gris é uma peça muito visionária.

Conheça mais sobre a carreira de Olivier Moulin.



Esse texto foi publicado quinta-feira, dezembro 16th, 2010 às 6:00 AM na seção Sem categoria. Você pode acompanhar todos os comentários através do feed RSS 2.0. Você também pode comentar, ou criar um link para cá em seu site.

Comente!

Seu comentário