Concerto da Amizade França – Brasil

No âmbito do Ano da França no Brasil, os laços antigos e a amizade entre a França e Pernambuco são comemorados num evento especial. Já que o teatro de Santa Isabel foi fruto de uma das primeiras ações de cooperação, ele é palco do Concerto da Amizade, no dia 21 de outubro. O evento é gratuito e começa às 20h30.

O teatro de Santa Isabel

Um dos 14 teatros-monumento do país, tombado pelo Instituo do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1949, o teatro de Santa Isabel representa o primeiro e mais expressivo exemplar da arquitetura neoclássica em Pernambuco. A ideia de construir um teatro público no Recife partiu de Francisco do Rego Barros, o Conde da Boa Vista, que foi presidente da Província de 1837 a 1844. Por isso, ele convidou ao Brasil o engenheiro francês Louis- Léger Vauthier que elaborou e dirigiu o projeto. O teatro foi inaugurado em 1850.

No dia 19 de setembro de 1869, o Santa Isabel seria quase totalmente destruído por um incêndio. As obras de reconstrução só tiveram início em maio de 1871 e Vauthier foi novamente solicitado, desde a França, para a revisão dos planos de obras e modernização. O teatro de Santa Isabel foi reinaugurado em 1876.

Louis-Léger Vauthier

Louis-Léger Vauthier administrou a Repartição de Obras Públicas da Província de Pernambuco entre 1840 e 1846, a convite do Conde de Boa Vista. A contribuição de Vauthier para o desenvolvimento urbano da província é imensurável. Entre as várias obras que ele dirigiu durante sua estadia em Pernambuco, como também após seu retorno a França, o teatro de Santa Isabel permanece seu mais simbólico legado.

Contudo, a herança de Louis-Léger Vauthier não é somente técnica, ela é também ideológica. O jovem engenheiro contribuiu para divulgar no Brasil as ideias que reinavam na França e na Europa naquela época, especialmente o socialismo de Charles Fourier. É por essa razão que Gilberto Freyre declarou que Vauthier era um “engenheiro de pontes e ideias”. O sociólogo brasileiro se interessou por esse Francês e pelo seu jornal íntimo e até publicou um livro intitulado Um engenheiro francês no Brasil que retrata o percurso de Vauthier e sua herança.

O programa do concerto

No programa, obras que faziam parte do repertório tocado na época da inauguração do Santa Isabel, como a do compositor francês da corte de Luis XIV Jean-Baptiste Lully (1632-1687), do alemão Joseph Hadyn (1732-1809: em 2009 são celebrados os 200 anos da morte do compositor), do autor da famosa Ave Maria, o francês Charles-François Gounod (1818-1893) e do recifense Luís Álvares Pinto (1719-1789), cujo Te Deum, uma das suas raras obras que sobreviveram, foi reencontrado no próprio Santa Isabel.

A pianista Ana Lúcia Altino, a Orquestra Jovem de Pernambuco sob a batuta do Maestro Rafael Garcia e o Coral Villa-Lobos da Paraíba sob a regência de Carlos Anísio foram escalados para o concerto.

Pontes e ideias

O espetáculo encerra a programação do colóquio Pontes e Ideias cujo objetivo é de divulgar o papel de Louis-Léger Vauthier para a sociedade pernambucana. O destaque é então, através da figura do engenheiro francês, a riqueza da cooperação entre a França e o Brasil na área de desenvolvimento urbano. Este colóquio acontece de 19 a 22 de outubro, organizado no Brasil pela Universidade Federal de Pernambuco, a Fundação Joaquim Nabuco e na França pela Universidade de Rennes 2-Haute Bretagne, a Universidade de Paris Ouest-Nanterre la Défense e a Ecole nationale des Ponts et chaussées.

Além desse colóquio, a homenagem a Louis-Léger Vauthier ocorre pela reedição do seu jornal que serviu de importante testemunha da época, em versão bilíngue e comentada, acompanhado de uma biografia do engenheiro, de correspondências e de documentos diversos. Uma exposição de fotos e de arquivos de imprensa é ainda organizada para ilustrar a presença francesa no Estado de Pernambuco.



Esse texto foi publicado sábado, outubro 3rd, 2009 às 2:02 AM na seção Notícias. Você pode acompanhar todos os comentários através do feed RSS 2.0. Both comments and pings are currently closed.