Virtuosi_FloraPimentel_270

Por Josias Teófilo

No Recife, nesta quarta-feira, a grande atração foi o contrabaixista romeno Catalin Rotaru, professor da Escola de Música da Arizona State University, habitué do Festival Virtuosi há vários anos. Rotaru tocou com a pianista russa Anastásia Zhivotovskaya especialmente obras transcritas para contrabaixo, originalmente compostas para violino e violoncelo – a única obra composta para contrabaixo foi “El Choclo”, um tango de Andres Martin.

O auditório do Conservatório Pernambucano de Música estava completamente lotado, em parte por estudantes do contrabaixo. O músico João Campelo, contrabaixista da Orquestra Sinfônica do Recife, estava na platéia. Para ele, Catalin é um dos maiores contrabaixistas do mundo e o compara ao maestro alemão Carlos Kleiber (uma lenda viva da regência): “Catalin está para o contrabaixo assim como Carlos Kleiber está para a batuta”.

Ficou evidente o domínio técnico e o virtuosismo de Rotaru nas peças de Gabriel Fauré, Cesar Frank e Astor Piazzolla. A pianista tocou três peças solo que demandam grande rapidez e habilidade técnica: a transcrição de Franz Liszt sobre A morte de Isolda da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner, a Sonata em ré menor de Domenico Scarlatti, e o Etude no. 6 de Franz Liszt (inspirado nos caprichos de Paganini).

A peça final e mais aplaudida foi Le grand tango, de Astor Piazzolla, originalmente composta para violoncelo. Como bis, foi tocada outra peça de Piazzolla, a sua Ave Maria.

O programa com Catalin Rotaru e Anastásia Zhivotovskaya será repetido no sábado, dia 13, às 17h no Teatro de Santa Isabel durante a II Maratona Virtuosi pela Paz.