Por Luiza Maia
Recife, quarta-feira, 13 de julho de 2011
Professores Simon Gollo (foto) e German Marcano são os convidados de hoje do Virtuosi Gravatá

Os venezuelanos Simon Gollo e German Marcano são os destaques de hoje do 3º Virtuosi Gravatá. Os dois são professores do internacionalmente reconhecido Sistema de Orquestras Infanto-Juvenis da Venezuela e tocam ao lado do pianista filipino Victor Asuncion composições de Johannes Brahms e Manuel de Falla. O concerto acontece na Igreja Matriz de Sant’Anna, no Centro, às 19h, e tem entrada gratuita.

O projeto social El Sistema (como é chamado) já atendeu cerca de 300 mil alunos em seus mais de 35 anos de existência. Surgiu como uma pequena orquestra criada pelo economista e maestro José Antonio Abreu. Recentemente, tem crescido no interior do país, “O nível acadêmico melhora notavelmente, além do coral, que é de grande importância. Consideramos que as atividades de maior importância são as orquestras penitenciárias e de crianças especiais”, comemoram os professores, em entrevista por e-mail. El Sistema é copiado em mais de 25 países, incluindo o Brasil, onde funciona, em Salvador (BA), o projeto Neojibá, criado em 2007.

Os jovens atendidos encaram rotina de quatro a seis ensaios semanais, além de aulas e workshops. Os alunos não passam por testes de aptidão para serem admitidos, como também não há avaliação da classe social dos interessados. “Descobrir talentos é uma consequência, mas o principal mérito é fazer com que os jovens fiquem longe das drogas, álcool e outros vícios da sociedade”, esclarecem os professores.

Desde sua criação, El Sistema é financiado pelo governo venezuelano. “Acreditamos que o governo deve apoiar todo tipo de manifestação educativa cultural, pois dela deriva nosso desenvolvimento intelectual e a identidade dos nossos povos”, defendem.