16.05.2011, Caderno C, AD. Luna.

A sala de apresentações do Centro Cultural Correios, no Bairro do Recife, recebeu um ótimo público na segunda noite do Virtuosi Brasil Correios, na última sexta-feira. O festival deste ano homenageou o compositor Almeida Prado, falecido em 2010. Coube ao grupo paulista Anima: Musica Mundana Humana et Instrumentalis encantar uma plateia sedenta por espetáculos musicais alternativos às paradas radiofônicas, televisivas e internéticas de sucesso.

Criado há 20 anos, o Anima dividiu a apresentação Donzela guerreira: encontro entre Anima e animus em três atos: O tempo mítico (Anima), O sangue fecunda a terra (animus) e A revelação e o encontro (animus e Anima). Todos os movimentos dos músicos e as execuções de seus incomuns instrumentos eram acompanhados atentamente por uma audiência que integrava adultos, pessoas mais velhas e muitos jovens. As didáticas explicações acerca das características de temas tocados também eram ouvidas com interesse por todos.

Marcelo Melo, membro do Quinteto Violado, e o cantor Gonzaga Leal eram alguns dos artistas presentes no concerto. Leal exaltou “a beleza e a poesia” do Anima e destacou a presença em terras pernambucanas da cantora e percussionista Marlui Miranda, integrante do grupo. Marlui é reconhecida por sua pesquisa em torno da valorização da música indígena e da interação com figuras do quilate de Egberto Gismonti, Naná Vasconcelos, Gilberto Gil e Jack DeJohnette, um dos maiores bateristas de jazz do mundo.

Confira reportagem completa na edição desta segunda-feira (16/5) do Caderno C do Jornal do Commercio