CLIPPING, JORNAL DO COMMERCIO (11/07) – Virtuosi une uma cidade inteira

Ingrid Melo
imelo@jc.com.br

Em Gravatá, todos os olhos, ouvidos e sentidos estavam voltados para o Festival Virtuosi de música erudita, que iniciou sábado, às 19h, sua terceira edição. A Igreja Matriz de Sant”Ana estava repleta, com espectadores de todas as idades, em pé ou sentados, olhando atentos para o palco e procurando qualquer brecha entre as pilastras e os bancos para ver mais de perto o concerto. Lá fora, dezenas de pessoas acompanhavam pelo telão, ignorando o frio.

A primeira a se apresentar foi a violoncelista ucraniana Natalia Khoma, que executou a peça Concerto número um em dó maior para violoncelo e orquestra, do compositor austríaco Joseph Haydn. Acompanhada pela Orquestra do Festival, composta por 45 estudantes de música, Natalia fez uma apresentação de pouco mais de meia hora.

A maior parte da peça foi executada de olhos fechados pela violoncelista. Ela sentia cada nota e o público ouvia emocionado o som expressivo do violoncelo, considerado o rei dos instrumentos de corda e, por isso, um solista. “O concerto foi lindo. Eu já havia escutado sobre Haydn, mas não conhecia o trabalho dele. A peça é intensa e sutil ao mesmo tempo e Natalia soube expressar isso muito bem. Me cativou profundamente”, disse a nutricionista Gabriella Carrilho.

Em seguida, foi a vez de Rafael Garcia reger a Orquestra do Festival na obra Réquiem em ré menor, de Mozart. Composta para orquestra, coro e solistas, Réquiem contou ainda com o Coro de Câmera Villa-Lobos (30 cantores regidos por Carlos Anísio de Oliveira) e quatro solistas: a soprano Adriane Queiroz, a mezzo-soprano Adriana Clis, o tenor Gilberto Chaves e o barítono Saulo Javan.

A harmonia das vozes e dos instrumentos na acústica da igreja era de uma beleza magnífica que calou até as crianças e explodiu em aplausos calorosos ao final da apresentação. “Foi tudo perfeito, me deu um nó na garganta. Acho louvável a proposta do Virtuosi de levar música erudita gratuita e de qualidade, para todas as camadas sociais. Tem gente de todo tipo aqui, e todo mundo está unido pela música, que é uma linguagem universal”, resumiu o aposentado João Cândido, em consonância com Rafael Garcia que, com a voz embargada, afirmava no palco ser aquele o verdadeiro Virtuosi Sem Fronteiras. O Festival continuou ontem com o início da homenagem aos 200 anos de nascimento de Liszt e segue até o dia 17. As apresentações ocorrem sempre na Igreja Matriz de Sant”Ana, a partir das 19h em dias de semana e depois das 11h nos finais de semana. O acesso é gratuito.



Esse texto foi publicado segunda-feira, julho 11th, 2011 às 9:28 AM na seção Clipping. Você pode acompanhar todos os comentários através do feed RSS 2.0. Você também pode comentar, ou criar um link para cá em seu site.

4 comentários to “CLIPPING, JORNAL DO COMMERCIO (11/07) – Virtuosi une uma cidade inteira”

  1. Leland Zadrozny

    I simply want to tell you that I’m all new to blogging and honestly enjoyed you’re page. More than likely I’m likely to bookmark your website . You amazingly come with awesome article content. Thank you for sharing with us your webpage.

  2. Carreiro

    Blog Awesome! Você tem alguma dica para aspirantes a escritores ? Estou esperando para começar o meu próprio site, em breve, mas estou um pouco perdido em tudo. Será que você sugeriria começar com uma plataforma livre como WordPress ou ir para uma opção de pagamento? Há tantas opções lá fora que eu estou totalmente dominado .. Alguma idéia? Muito obrigado ! source for this article

  3. Colanti

    Imi plac colantii la nebunie

  4. ladda ner pdf

    ladda ner pdf…

    […]9 Oh my goodness! a wonderful post dude. Many thanks Even so I am experiencin 22[…]…

Comente!

Seu comentário