É um dos mais destacados violinistas brasileiros de sua geração, e como dizia seu grande mestre Tibor Varga: “Mãos perfeitas para o violino como as de Winston só nascem de 10 em 10 anos”. Primeiro lugar de vários concursos nacionais e internacionai, participou em concertos e recitais de câmara no Brasil e em países como Áustria, Alemanha, Hungria, Itália, Croácia, Bélgica. Apresentou-se em consagradas salas de concerto como o Barbican Hall, Musikverein, Stefaniensaal, Teatro Guaíra e a Sala São Paulo. Foi solista de importantes orquestras do Brasil e do exterior como a do Paraná, de São Paulo, Câmara Tibor Varga, Camerata Fukuda, entre outras. Em 2017 criou em Curitiba o 1° Violin Festspiele Brazil.