Artistas convidados

XIX VIRTUOSI
De 10 a 19 de dezembro de 2016

Maestro Rafael Garcia (Foto: Flora Pimentel)

RAFAEL GARCIA, regente e diretor artístico
Rafael Garcia é o criador, diretor artístico e regente do festival VIRTUOSI. Casado com a pianista pernambucana Ana Lúcia Altino, Rafael apaixonou-se pelo Brasil aos 18 anos, paixão que o fez recusar ofertas de trabalho em orquestras da Suécia, Alemanha e outros países da Europa para se radicar no Recife. Desempenhou inúmeras funções como violinista, professor, diretor artístico, regente, criador e coordenador de projetos culturais significativos para o desenvolvimento da música na região. Ao longo dos anos conquistou relevantes oportunidades como o cargo de Spalla da OSESP com o Maestro Eleazar de Carvalho; a implantação do movimento musical na Paraíba; a posição de professor do New England Conservatory e criação do Lexington Music Festival em Boston; a criação da OFN/NE; a criação e reativação da Orquestra Jovem de Pernambuco entre outras, e finalmente o VIRTUOSI, o maior projeto de todos, marca registrada de qualidade e excelência artística. Rafael Garcia tem se destacado, no nosso meio, pelo infatigável empenho no esforço de difundir a eterna música clássica, em todos os segmentos e em todos os lugares em que se vislumbre a menor chance para isso. Recentemente descobriu que o seu tataravô Adolfo Desjardin foi o fundador do Conservatório Nacional de Música.

benjamin-sung-flora-pimentel
BENJAMIN SUNG, violino
Professor assistente da Florida State University, é também Spalla da Orquestra Sinfônica Fargo-Moorhead. Recitalista e camerista ativo, participou do Brevard Music Festival 2012 e do XIII Festival e Academia del Nuevo Mundo em Maracaibo. Como membro da Academia de Lucerna, tocou sob a regência de Pierre Boulez. Em 2005 apresentou-se no Carnegie Hall na estréia da Sinfonia de Câmara de John Adams. Entusiasta da música contemporânea é membro do Arsenal Trio. Doutor pela Universidade de Indiana, foi spalla da Orquestra Sinfônica de Montgomery e é diretor artístico do ClefWorks, festival de musica de câmara de Montgomery.

Clara Jumi KangPhoto: Marco Borggreve
CLARA-JUMI KANG, violino
Estudou na Universidade de Música de Lübeck com o Zakhar Bron. Foi criança prodígio apresentado-se aos 5 anos de idade com as Orquestras Gewandhaus de Leipzig, Sinfônica de Hamburgo, e Filarmônica de Seul. Aos 9 anos gravou o Concerto Tríplice de Beethoven para o selo Teldek. Foi vencedora de vários concursos internacionais: Seul (2009), Hannover (2009), Sendai (2010) e o famoso Internacional de Indianápolis levando cinco prêmios especiais. Lançou o CD solo “Modern” pela Decca. Toca num Stradivari de 1708, “Ex-Strauss”, cedido pela Fundação Cultural Samsung da Coréia. Foi uma das laureadas no Concurso Tchaikowsky.

irineu-perpetuo-flora-pimentel
IRINEU FRANCO PERPÉTUO, jornalista
Jornalista especialista em música clássica, colaborador do jornal Folha de São Paulo, do site da revista Concerto e correspondente no Brasil da revista Ópera Actual de Barcelona, é co-autor dom Alexandre Pava do livro “Populares & Eruditos” e autor de “Cyro Pereira – Maestro”. Foi consultor e braço direito de Deborah Colker para o espetáculo “Tathyana”, balé que estreou no Festival de Teatro em Curitiba baseado no romance “Eugene Onegin” de Pushkin.

kristina-miller-2
KRISTINA MILLER-KOECKERT, piano
Nascida em Moscou, foi solista com orquestra aos 8 anos. Venceu o Concurso International de Berlin (1999) e Concurso Internacional de St.Petersburg (2000). Desde os doze anos, apresenta-se em concertos na Europa, Estados Unidos, Austrália, América do Sul e Rússia. Em 2006, ganhou o Prêmio de Piano “Steinway”, em Munique Steinway House e entrou na Universidade de Música de Munique como aluna de Gerhard Oppitz. Além de fazer várias gravações para a Rádio da Baviera, em 2008 lançou seu primeiro CD para o selo Naxos. Mestre em Música, estuda no Conservatório de Viena com Prof. Dr. Johannes Kropfitsch.

maestro-forro
MAESTRO FORRÓ
Músico, compositor e arranjador, viajou para 36 países, incluindo Europa e América. Foi responsável pela direção musical de grupos de Recife, como o Maracatu Nação Pernambuco e Mundo Livre S/A. Em 2002, criou a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério. Em 2009 gravou o DVD “Jorrando Cultura ao vivo” no Teatro de Santa Isabel. Em 2013, sob sua direção artística e musical, a Orquestra foi a vencedora do 24º Prêmio de Música Brasileira, na categoria Música Regional/Melhor Grupo. Com a Orquestra, recebeu a Medalha da Ordem do Mérito Cultural, entregue pela então presidente Dilma Rousseff.

manuela-freua
MANUELA FREUA, soprano
Cantou nas óperas Dido and Aeneas (Purcell), Il Matrimonio Segreto (Cimarosa), Pélleas et Melisande (Debussy), Yerma (Villa-Lobos), Roméo et Juliette (Gounod), Lo Schiavo (Gomes), Die Lustige Witwe (Lehár), Violanta (Korngold) em palcos como Theatro S. Pedro, TMSP e Amazonas. Realizou recitais de música de Câmara e recitais em turnê pelo Japão. Foi solista da 9° Sinfonia de Beethoven com a OSPA e da 8° Sinfonia de Mahler com a OSESP. Foi premiada nos Concursos Maria Callas e Bidu Sayão. Bacharel em Música pela UNESP, é orientada por Isabel Maresca e aperfeiçoou-se como bolsista Vitae na Academia Liszt (Budapeste).

Orquestra Jovem
ORQUESTRA JOVEM DE PERNAMBUCO
Criada em 1986 foi reativada em 2005 durante a realização do projeto A Fábrica de Música pelo Maestro Rafael Garcia. Durante o ano de 2005 a OJOPE realizou mais de 40 concertos através do SESC-PE, do FUNCULTURA e do Sistema de Incentivo da Prefeitura Municipal de Recife. Participou do VIRTUOSI BRASIL realizado em 2005 no Teatro de Santa Isabel assim como do projeto VIRTUOSI NA SERRA realizado durante os Festivais de Inverno de Garanhuns. Realizou concertos através do programa Petrobras cultural levando a música clássica a 10 cidades da região metropolitana do Recife.

orquestra-virtuosi-flora-pimentel
ORQUESTRA VIRTUOSI
A Orquestra se compõe sobretudo de músicos nacionais e internacionais. Através de projeto da Petrobras a Orquestra gravou o CD intitulado “A Música Clássica de Compositores Populares Pernambucanos” con grande repercussão. O critico Luis Antonio Giros comentou na Revista Gramophone: “…O CD é incrível, tanto o repertório imaginativo como a excelente atuação da Orquestra Virtuosi,…que é regida pelo diretor e violinista Rafael Garcia…” A Orquestra é versátil e sua formação depende da programação que se realiza. A Orquestra tem atuado com importantes solistas como Antonio Meneses, Rafael Altino, Leonardo Altino, Víctor Asunción, Christian Lindberg, Roland Pöntinen, Benjamin Schmid, Mikkel Futrup, Deborah Nemtanu, entre outros.

Rafael Altino - site
RAFAEL ALTINO, viola
Violista principal da Sinfônica de Odense, Dinamarca, começou seus estudos musicais com seu pai Rafael Garcia aos 9 anos. Aos 17 anos mudou-se para os Estados Unidos onde recebeu os diplomas de Bacharel pelo NEC, Boston e Mestre pela Juilliard School. Participa em festivais internacionais e concertos, em vários países tais como Brasil, França, Grécia, Japão, Noruega, Espanha, Suécia, Taiwan e Estados Unidos, entre outros. Ensina nas Academias de Música Carl Nielsen, Odense e Malmö, Suécia. Toca numa viola francesa do final de 1700 de autor desconhecido com um arco James Tubbs cedidos pelo Instrumentfonden da Sinfônica de Odense.


RODRIGO FERREIRA, contratenor
Formado pelo CRR de Paris e laureado HSBC da Academia Internacional do Festival d’Aix-en-Provence, participou da ópera “Thanks to my Eyes” de Oscar Bianchi e Joel Pommerat. Foi papel título da ópera “Re Orso” de Marco Stroppa na Ópera Comique, Paris. Entre outras atuações destacam-se “Le marteau sans maître” de Boulez, e “Neige” de Catherine Köntz, entre outros. Com o cravista Ronan Khalil, realizam numerosos concertos e recitais na Ópera de Lille, na Salle Cortot, em Havana. Entre seus projetos futuros destaca-se a ópera coreográfica “Arioso” de Tatiana Julien, e a peça “Amanece” para contratenor solo e orquestra de A. Marcos.

ronan-khalil-jbm
RONAN KHALIL, cravo
Descobriu a música antiga na Matriz de Bretagne antes de estudar cravo com Pascal Dubreuil no Conservatório Nacional de Rennes e depois em Manchester. Diplomado pelo Conservatório Real de Haia, em 2008 ganhou o 1º prémio do público no Concurso Internacional de Cravo da Fundação M. & R. Lacour (Festival d’Auvers-sur-Oise Opus 28) e, mais recentemente, foi premiado com o premio Oriolis-Kriegelstein assim como o 1º prémio no Concurso International de Cravo Paola Bernardi de Bolonha. Fundou, em 2010, o grupo Desmarets, formação instrumental dedicada ao repertório dos séculos XVII e XVIII.

Trio Con Brio
TRIO CON BRIO COPENHAGEN
Fundado em Viena, está em grande demanda internacional com uma agenda intensa de concertos em todo o mundo. Nos últimos anos, o Trio tem aparecido nas principais salas de concerto da Europa, EUA e Ásia, como Tivoli Concert Hall, Concertgebouw, Carnegie Hall, Konzerthaus de Berlim, entre outros. Venceu a maioria das competições internacionais, incluindo ARD (Munique), Vittorio Gui (Florença) e Trondheim (Noruega). Soo-Jin toca em um violino de Andrea Guarneri do século 17, Soo-Kyung toca um violoncelo Grancino, e Jens é o primeiro Steinway Artist da Dinamarca.

victor-asuncion-2_caroline-bittencourt
VICTOR ASUNCION, piano
Natural de Filipinas tem se apresentado em grandes salas de concerto no Canadá, Japão, México e Filipinas. Fez sua estréia aos 18 anos com a Manila Chamber Orchestra e seu primeiro recital em New York em 1999. Como pianista tem se apresentado sob a direção de Harold Farberman, Corrick Brown, Arthur Weisberg, Zev Dorman, Enrique Batiz, Bobby McFerrin, James Conlon e James Judd. Um entusiasta da música de câmara tem colaborado com artistas como Lynn Harrell, Cho-Liang Lin, Andres Diaz, Emerson String Quartet entre outros. É professor assistente de piano na Rudi Scheid School of Music, EU.